Pilates e gravidez

set 26 2019

Pilates e gravidez

Entenda sobre o método que é aliado durante a gestação, no parto e no pós parto

 

É um consenso que a prática de exercícios físicos é benéfica para as gestantes, desde que os exercícios sejam leves ou moderados e o médico tenha liberado a prática. Uma das recomendações mais frequentes dos médicos é a prática do Pilates. O método, já conhecido no mundo inteiro, é, comprovadamente, eficaz para os praticantes e traz benefícios que incluem o ganho de força muscular, flexibilidade, melhora postural e muito mais.

No método desenvolvido por Joseph Pilates, o Powerhouse (ou Centro da Força) é a área que compreende os músculos do assoalho pélvico, diafragma, abdome e outros. Para o criador do pilates, tal princípio foi levado em consideração para criar exercícios que aumentassem a força desta musculatura dos praticantes desta modalidade.

Mas será que as gestantes também conseguem ter resultados favoráveis com os exercícios? Sabemos que as futuras mamães passam por diversas alterações no organismo e principalmente as mudanças hormonais e posturais podem culminar em uma redução da força do assoalho pélvico durante a gravidez.

Foi pensando neste problema que um estudo foi realizado na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), a fim de entender se as gestantes conseguem fortalecer o assoalho pélvico por meio do pilates.

Neste estudo, um grupo de grávidas foi dividido aleatoriamente em duas partes onde uma das metades passou a praticar pilates e a outra fez exercícios aeróbicos tradicionais. Ambos os grupos de gestantes fizeram os exercícios 2 vezes na semana por 60 minutos.

As gestantes foram avaliadas duas vezes durante a pesquisa: uma entre a 16ª e a 20ª semanas e entre a 34 e a 36ª semanas gestacionais.

O resultado foi realmente interessante!

No grupo de praticantes de pilates foi observado um aumento da capacidade de contração, tempo de contração e números de contrações rápidas dos músculos do assoalho pélvico quando comparado ao grupo que praticou apenas exercícios aeróbicos. Isso significa que o assoalho pélvico foi fortalecido, o que auxilia as mulheres na prevenção de problemas como a incontinência urinária.

Este estudo comprova a eficácia do método pilates para as grávidas. Além de fortalecer o assoalho pélvico, os exercícios do pilates também ajudam as gestantes no relaxamento do sistema circulatório e aliviam as dores de coluna, que é bastante sobrecarregada com o peso adicional que o bebê traz ao corpo da mãe.

Falando em coluna, as aulas de pilates são especialmente valiosas para as grávidas porque durante os exercícios são alongados os músculos das costas e das pernas, o que pode reduzir dores durante a gestação. Pensando que a futura mamãe terá um condicionamento melhor com a prática dos exercícios e a concentração é um dos princípios trabalhados pelo método, o momento do parto pode ser mais fácil.

Durante a gestação, gradualmente, a gestante deve ser instruída com exercícios que a fortaleçam e a preparem para o momento do nascimento do bebê. Já no pós-parto o exercício físico tem a função de garantir uma recuperação mais rápida e com menos dores, além do retorno dos músculos à posição inicial.

Deixe o seu comentário

0 Comments
Share Post
No Comments

Post a Comment